Contato: (87) 9.9974-7767 (Ligação/WhatsApp) | Horário de Atendimento: Segunda a Sexta, das 07:30 às 13:00

Conheça a Cidade

Início 5 Institucional 5 Conheça a Cidade
Dados Socioeconômicos de Triunfo/PE
Gentílico Triunfense
Área de Unidade Territorial 191,518 km²
População Estimada 15.254 Habitantes
Indice de Desenvolvimento Humano Municipal – IDHM 0,670
PIB per capita R$ 9.123,93
Fonte: Wikipédia/IBGE

 

 

Triunfo é um município brasileiro do estado de Pernambuco, localizado no topo da Serra da Baixa Verde, junto ao limite de Pernambuco e Paraíba. A cidade dista 405 quilômetros de Recife, capital do estado e 380 quilômetros de Petrolina, mais importante cidade do sertão pernambucano. Sua população, conforme estimativa do IBGE de 2017, era de 15.221 habitantes, distribuídos em pouco mais de 190 quilômetros quadrados.

Situa-se em um brejo de altitude, a mais de mil metros acima do nível do mar, sendo a cidade mais alta do estado de Pernambuco. O seu clima é ameno e chuvoso, o que faz com que o local destaque-se em relação a outras cidades circunvizinhas que possuem clima semiárido. Esse aspecto local leva Triunfo a ser conhecida como “Oásis do Sertão”.

Emancipada de Flores em 1870 e elevada à categoria de cidade em 13 de junho de 1884, a cidade de Triunfo é um dos principais destinos turísticos de Pernambuco. Os seus visitantes são atraídos principalmente por seu clima ameno e sua arquitetura icônica e histórica, bem como por sua culinária, seus festivais e também por sua geografia.

História

Os primeiros habitantes da região onde viria se formar a cidade de Triunfo foram os índios Cariri da nação Tapuia.

Sabe-se que no início do século XIX, provavelmente no ano de 1802, chegou ao local um missionário italiano, o capuchinho frei Vital de Frascarolo, ou frei Vital da Penha, acompanhado de alguns índios e carregando de imagens de alguns santos, entre eles a imagem de Nossa Senhora das Dores, que viria a tornar-se padroeira do local.

Frei Vital da Penha conseguiu do proprietário das terras da Baixa Verde, um terreno, no qual montou neste espaço um aldeamento para os índios que vieram com ele em sua missão.

Em novembro de 1803 Frei Vital da Penha deixou o local e foi substituído por frei Ângelo Maurício Niza, que tratou de construir na Baixa Verde uma capelinha que serviu de matriz do povoado durante muito tempo. Após a construção da capela, frei Ângelo buscou a legalização da posse do terreno dos índios, junto ao governador-geral da Capitania, Dr. Caetano Pinto de Miranda Montenegro.

As condições favoráveis dos solos para práticas agrícolas, suas fontes perenes de água e vegetação sempre verde atraíram outras pessoas para o local, fazendo com que ele passasse de um núcleo de casas esparsas para um povoado com casas próximas umas das outras e alinhadas.

A história de Triunfo foi registrada por vários anos no Jornal “A Voz do Sertão”, o qual tinha como editor Sigismundo Pinto, jornalista triunfense, que escrevia as matérias e registrava imagens da cidade na publicação.

Fonte: Wikipedia